Policlínica Fazenda Rio Grande

Dia Nacional de Combate ao Fumo

Home>Notícias>Dia Nacional de Combate ao Fumo
Dia Nacional de Combate ao Fumo
Por: admin

Talvez muitos não saibam, mas no dia 29 de agosto é comemorado no Brasil o Dia Nacional de Combate ao Fumo. A data tem como finalidade conscientizar a população quanto aos malefícios causados pelo uso do cigarro. E engana-se quem pensa que essa campanha é recente, pelo contrário, foi instituída em 1986, e de lá para cá a mobilização contra o cigarro é incessante. A Policlínica FRG preocupa-se com a sua saúde, e por isso trouxe algumas informações quanto aos riscos decorrentes do uso do cigarro. Confira!

 

Cigarro: principal causa de morte evitável

De acordo com a OMS – Organização Mundial da Saúde, o tabagismo é a principal causa de morte que pode ser evitada no planeta, o que é considerado um problema de saúde pública. Para se ter ideia, somente no Brasil, estima-se que cerca de 200 mil pessoas morrem por ano vítimas do cigarro, mesmo com tantas mobilizações contra o uso do cigarro. Já a nível mundial esse número é ainda mais assustador aproximadamente 4,9 milhões de pessoas.  

 

Substâncias do cigarro

Tanto o cigarro como qualquer outro derivado do tabaco não apresentam quantidades seguras de consumo. Estudos comprovam que somente na fumaça desse produto é possível encontrar mais de 4.700 substâncias tóxicas e até cancerígenas, quanto mais no consumo direto do cigarro.

Dentre as substâncias maléficas à saúde, destacam-se o alcatrão e a nicotina. O primeiro está diretamente ligado às doenças cardiovasculares e câncer; a nicotina, por sua vez, age como estimulante do Sistema Nervoso Central (SNC), acarretando a elevação da pressão sanguínea, aumento da frequência cardíaca, diminuição do apetite e, ainda, desencadeia náuseas e vômitos.

 

Doenças desencadeadas pelo tabagismo

Além dos problemas de saúde mencionados anteriormente o tabagismo é responsável pelo desencadeamento de cerca de cinquenta doenças, dentre elas:

– Infarto do miocárdio;

– Enfisema pulmonar;

– Derrame;

– Câncer de pulmão, traqueia, laringe, brônquios;

– Impotência sexual (homem) e infertilidade (mulher);

– Hipertensão;

– Diabetes e;

– Problemas respiratórios.

Como se estas doenças não fossem suficientes, o cigarro ainda causa tumores malignos em vários outros órgãos, como boca, pâncreas, rins e bexiga.

 

Fumantes passivos

Infelizmente as pessoas que não fumam também correm riscos, pois como dito anteriormente, somente a fumaça já é prejudicial à saúde. A esse grupo é dado o nome de fumantes passivos, pois não possuem contato direto com o tabaco, mas possuem o risco aumentado de desenvolver câncer de pulmão, bem como doenças cardiovasculares e respiratórias.

 

Mudança de hábito é sinônimo de qualidade de vida

Além de todos os malefícios listados acima, a nicotina presente no cigarro causa dependência, similar a causada pela cocaína. Logo, sabemos que parar de fumar não é tão fácil assim. Mas se você está disposto a ter mais qualidade de vida, mude os hábitos diários e procure um médico que possa auxilia-lo nesse processo. Dentre as especialidades médicas, o cardiologista pode te ajudar a vencer esse mal. Entre em contato com a Policlínica, agende sua consulta e dê o primeiro passo para a mudança.


Voltar
Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas