Policlínica Fazenda Rio Grande

Rinite Alérgica e Primavera: entenda essa relação

Home>Notícias>Rinite Alérgica e Primavera: entenda essa relação
Rinite Alérgica e Primavera: entenda essa relação
Por: admin

Ao ler o título você deve estar pensando qual a relação existente entre algo tão desconfortável como a rinite alérgica e outra tão agradável como a primavera. Para os pais que têm filhos pequenos, o verão é a estação mais terrível do ano, porém, para quem sofre de rinite alérgica, a estação vilã é a primavera. Leia esse artigo que a Policlínica preparou e entenda o que tem a ver rinite alérgica e primavera.

 

Rinite Alérgica e Primavera: dupla não tão dinâmica assim

Daqui menos de um mês a primavera baterá as portas e com ela trará também muitos espirros, congestão nasal e coceiras no nariz. E a explicação é simples: pessoas que sofrem com doenças alérgicas, como a rinite, por exemplo, tendem a sofrer mais com a polinização da estação, uma vez que há aumento na quantidade de flores, bem como ficam mais exuberante e elevam a proliferação de pólen. E então, o pólen associado ou não a outros alérgenos, como poeira, pelos de cães e gatos, ácaros, etc. podem ocasionar uma crise alérgica.

Para quem não sabe, a rinite alérgica é um processo de inflamação das mucosas do nariz e quando expostos a esses e outros tipos de alérgenos, isso pode desencadear uma reação exagerada. Veja a seguir os principais sintomas e como tratar.

 

Diagnóstico e tratamento

Os principais sintomas e queixas que fazem as pessoas procurar a ajuda de um profissional são: espirros, secreção e congestão nasal e coceira, porém quando não diagnosticada precocemente a rinite alérgica pode evoluir para uma sinusite. Então, aos primeiros sintomas busque um médico otorrinolaringologista, de preferência da Policlínica Fazenda Rio Grande, pois somente um profissional poderá fazer o diagnóstico corretamente e prescrever o tratamento adequado.

Geralmente o diagnóstico é clínico, mas em alguns casos o médico pode solicitar um exame de nasofibroscopia, que a partir da introdução de uma câmera nasal é possível diferenciar os quadros de rinite e sinusite. Após o diagnóstico, o tratamento é feito com medicamentos anti-histamínicos, isto é, antialérgicos e ainda lavagem nasal com soro fisiológico 0,9%. Já para pacientes com quadros muito intenso e que não respondem ao tratamento convencional, é indicado a imunoterapia, que é um tratamento com vacinas.

 

Prevenção

Infelizmente, não tem como pular a primavera ou passar ileso à estação, então, a prevenção ainda é o melhor remédio. É muito simples, basta fazer a lavagem nasal diariamente com soro fisiológico, uma solução fácil e barata. Além disso, se você sabe que produtos de limpeza, poeira, ácaros dentre outros desencadeiam reação alérgica, evite o contato com esses alérgenos.

Em todo caso, conte com a Policlínica para cuidar de você e da sua família, desde o diagnóstico ao tratamento. Entre em contato e agende seu horário.


Voltar
Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas